Vidros de Segurança e suas diferenças

logo_asimoes_reduzido

Nosso breve comentário sobre algumas dúvidas que nossos consumidores enfrentam sobre os Vidros de Segurança.

Ultimamente o mercado tem utilizado muito mais os vidros de segurança, com uma tendência de aumentar ainda mais essa demanda nas edificações, tendo em vista um belo acabamento e economia na obra, e também a utilização da luz solar, que gera uma grande eficiência energética. A definição de vidro de segurança é “vidro plano cujo processamento de fabricação reduz o risco de ferimentos em caso de quebra”.
O Vidros Comum, quando se quebra, tem a característica de formar fragmentos em formatos agudos, pontas, e com arestas cortantes, o que pode causar ferimentos graves e maiores, diferenciando-se assim o Vidro de Segurança.
A principal característica de um vidro de segurança é a de proteger o usuário dessas características perigosas do vidro comum, desses efeitos danosos em caso de quebra acidental.
O Vidro de Segurança tem como base o Vidro Comum, passado por têmpera ou laminação, podendo assim, como exemplo o Laminado ser usado em guarda-corpos e sacadas, que em casos de quebra, impede que uma pessoa caia.

Existindo 3 (três) tipos de vidro de segurança: temperado, laminado e aramado, cada um possuindo características específicas:

VIDRO TEMPERADO

VIDRO TEMPERADO

CARACTERÍSTICAS: Sendo o mais utilizados entre os vidros de segurança, destaca-se pelo custo reduzido aos demais, até mesmo menor que o vidro comum, pois exclui a necessidade de ferragens e pintura. O vidro temperado tem uma maior resistência mecânica e térmica em relação aos demais. No caso de quebra o vidro temperado se estilhaça em pedaço pequenos não pontiagudos.

COMO É FABRICADO: O vidro comum passa por um processo que consiste em aquecimento a altas temperaturas seguido por um rápido resfriamento do material, se tornando assim o Vidro Temperado.

APLICAÇÕES: O Vidro Temperado é utilizado para boxes, portas, fechamento de jardim de inverno, divisórias, portas de armários, janelas, basculantes, Maxim-ar e vitrines.

VANTAGENS: É o único vidro que pode ser aplicado sem a utilização de caixilhos, como por exemplo vitrines, e, sua resistência chega a ser 5 vezes mais que os demais vidros.

DESVANTAGENS: Não pode ser cortado ou furado.

VIDRO LAMINADO

VIDRO LAMINADO

CARACTERÍSTICAS: O vidro laminado é composto por duas peças de vidro intercaladas com uma camada intermediária. O vidro laminado é considerado de segurança, pois quando se quebra, ele se estilhaça, mas não se desprende, garantindo uma boa resistência.

COMO É FABRICADO: Duas peças de vidro temperado ou comum, impresso ou estirado, como uma camada intermediária de polivinil butiral (PVB) ou resina de poliéster líquida, que se adere às peças de vidro, por meio de uma máquina onde é submetido à temperatura e à pressão adequadas, ficando a camada intermediária fixa aos vidros.

APLICAÇÕES: Guarda-corpos, divisórias, vitrines, fachadas de edifícios, telhados, entre outros.
VANTAGENS: Ser um Vidro de segurança, segurar cacos e permanecer intransponível após a quebra e sua função termoacústica.

DESVANTAGENS: Com o passar do tempo pode comprometer sua função de vidro de segurança, com a perda da eficiência na camada intermediária.

VIDRO ARAMADO

vidro aramado

CARACTERÍSTICAS: O vidro aramado possui uma tela quadriculada de arame de aço no interior, essa grade segura os cacos no caso de quebra, impedindo que projetem no ar ou que fique com pontas perfurantes. Ele se mantem com sua integridades física após a quebra, assim como o laminado, não podendo ser transpassado, assim mesmo com a quebra não há como passar através dele. A espessura padrão do vidro aramado é de 6 mm.

COMO É FABRICADO: A malha quadriculada de arame de aço é inserida na fabricação do vidro.

VANTAGENS: O vidro aramado confere privacidade sem perda de luminosidade.

DESVANTAGENS: O vidro aramado é disponível apenas incolor e com espessura de 6mm.

APLICAÇÕES: Saídas de emergência, guarda-corpos, cobertura, divisórias, caixas de escada, fechamentos de claraboias, sacadas, peitoris, entre outros.

Autoria do texto: Gustavo Francisco Bodas Simões

Fonte:   abravidro

One Response so far.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *